Notícias

1/NOV /2013Quais são os principais tipos de depressão? 

Tipos de depressão

Como foi explicado no capitulo anterior, o grupo de doenças afetivas engloba os vários tipos de distúrbios depressivos e os distúrbios bipolares e unipolares. A depressão é classificada genericamente em três tipos: leve, moderada e grave. Os outros tipos variam com relação às causas e aos sintomas.

Quais são os principais tipos de depressão?

Os principais tipos de distúrbios depressivos são:

  • Depressão leve
    • Depressão moderada
    • Depressão grave
    • Depressão reativa (transtorno de adaptação)
    • Depressão endógena (transtorno depressivo)
    • Depressão neurótica
    • Depressão psicótica
    • Depressão retardada
    • Distimia
    • Depressão mascarada
    • Depressão orgânica
    • Transtorno afetivo sazonal

 

Como de caracteriza cada um desses distúrbios?

 

Depressão leve

Na depressão leve, há uma alternância de períodos de doença e períodos sem qualquer sintoma e geralmente o distúrbio se inicia após algum acontecimento estressante ou traumático especifico. Nesse tipo de depressão, uma mudança no modo de vida pode ajudar efetivamente e afastar a tristeza e o “baixo-astral”.

Depressão moderada

A tristeza e “baixo-astral” são mais persistentes na depressão moderada. A vitima apresenta sintomas físicos da doença, que variam de pessoa a pessoa, e precisa de ajuda médica para se recuperar.

Depressão grave

Na depressão grave não há alternância de períodos de doença e períodos de sintomas, como ocorre na depressão leve. Os sintomas psicológicos são mais intensos e prolongados e interferem na vida da pessoa, perturbando ou impedindo as atividades normais e dificultando os relacionamentos. Os sintomas físicos de doenças se manifestam claramente e podem chegar ao delírio e alucinações. É preciso atendimento profissional  especializado imediato.

Depressão reativa

A depressão reativa, como o nome indica, ocorre como uma reação a um acontecimento altamente estressante que atinge a pessoa e para o qual ela não consegue reagir adequadamente. Esse tipo de distúrbio é chamado também de transtorno de adaptação por se tratar de uma adaptação da pessoa a uma nova situação criada com o acontecimento estressante. Exemplos de depressão reativa são a morte de pessoas queridas, a perda de um emprego, um rompimento amoroso e outros semelhantes, dependendo do valor dado pela pessoa. Geralmente a depressão reativa é de curta duração e pode até mesmo desaparecer com alguns cuidados como técnicas antiestresse, apoio da família e medidas de ordem pratica no modo de vida. O termo reativo indica também que a pessoa pode reagir sozinha a esse tipo de depressão.

Um acontecimento estressante mais intenso, no entanto, dependendo da pessoa, pode levar a um estado depressivo mais profundo e mais grave, principalmente se ela passar por outros episódios estressantes logo a seguir.

Depressão endógena (se forma no interior do organismo)

A depressão endógena tem causas internas e surge sem motivos aparentes, ou seja, sem que algum fator estressante ou traumático imediato tenha ocorrido. Geralmente esse tipo de depressão é grave e mais difícil de diagnosticar sua causa. Os sintomas físicos e psicológicos são os mesmos, como perda de peso, perda de apetite sexual, insônia e outros. A cura exige tratamento especializado.

Depressão neurótica

A depressão neurótica é semelhante à depressão leve, alternando períodos de “baixo-astral” com períodos de “alto astral”, o que pode ocorrer até em um mesmo dia. A tendência é a pessoa sentir-se pior à noite, sofrendo de insônia freqüente ou dormindo exageradamente.

Depressão psicótica

A depressão psicótica é bem mais grave e os sintomas podem incluir delírios e alucinações e até perda do contato com a realidade. A vitima deve ter tratamento médico com urgência.

Depressão retardada

Na depressão retardada os processos mentais e físicos da vítima são retardados, ou seja, diminuem de intensidade causando sérios problemas. A pessoa não consegue executar tarefas que exijam atenção, concentração e raciocínio. Quando o transtorno é mais grave, a pessoa pode ter dificuldades para falar, se movimentar e até comer.

Distimia

A distimia é um estado crônico de depressão, onde a tristeza prolonga-se pelo menos por dois anos. Além da alteração no humor, a pessoa tem o apetite diminuído ou aumentado, tem a constante sensação de falta de energia e cansaço e baixa auto-estima, sempre com pensamentos negativos e pessimistas.

Ao contrario de outros tipos de depressão, a distimia, por ser crônica e por ter os sintomas mais brandos, leva as pessoas a acreditarem que este é o seu estado normal de ser. Esse sentimento é agravado pelo fato de a doença não ter períodos mais agudos, onde os sintomas manifestam-se com mais intensidade. Com baixa auto-estima, pouco interesse pela vida e sentindo-se um eterno fracassado, a vitima acaba se afastando do circulo profissional, dos amigos e dos familiares.

A distimia geralmente começa na adolescência ou no inicio da idade adulta, levando a reforçar a idéia de que esse é o “jeito de ser” da pessoa o que impede que ela procure tratamento. Nesse sentido, este é um dos tipos mais nefastos da depressão que pode levar ao abuso de álcool e drogas.

Depressão mascarada

Embora apresentem muitos sintomas físicos, as pessoas com depressão mascarada negam que estejam se sentindo deprimidas. Os sintomas físicos tais como dores generalizadas e perturbações do sono e outros devem ser investigadas mais profundamente para chegar a um diagnostico correto.

Depressão orgânica

A depressão orgânica é causada por alguma doença física ou por medicamentos.

Transtorno afetivo sazonal

O transtorno afetivo sazonal referia-se à depressão que surgia no período do inverno, principalmente nos países onde o frio é muito rigoroso, os dias ficam muito curtos e o sol praticamente desaparece. As pessoas que sofrem desse transtorno sentem uma vontade irresistível de comer chocolate e carboidratos, alem da vontade de dormir durante todo o inverno num estado de hibernação. Esse tipo de depressão desaparece quando o inverno termina e o sol volta a brilhar.

Cândido Mota - SP

(18) 99714-7590

© Comunidade Pietá - Casa de Acolhimento

Desenvolvimento: Key Webmarketing